sexta-feira, janeiro 21

União e esperança – dando ouvido aos poetas!


Uma flor nasceu na rua!
Passem de longe, bondes, ônibus, rios de aço de tráfego.
Uma flor ainda desbotada
ilude a polícia, rompe o asfalto.
Façam completo silêncio, paralisem os negócios,
garanto que uma flor nasceu.

Fragmento do poema A flor e a náusea de Carlos Drummond de Andrade.

     Quando recebia uma notícia ruim referente a terceiros, como doença, acidente, morte, meu avô sempre falava ‘não somos nada nessa vida’. Eu guardava isso em meu coração como uma lição de humildade, mas hoje penso que ele se referia a um lado da moeda apenas, o do sofrimento, se ele vem, traz consigo o outro lado, o do amor que se desmembra em solidariedade. Mas isso compete em grande parte aos que não estão envolvidos no processo de sofrimento, oferecendo ajuda.

     Como preconizou o poeta, a flor da esperança nasce em meio a tantas tormentas porque é nutrida pelo calor da união dos que doam bens, alimentos, tempo.


     São medidas imprescindíveis, porém tenho para mim, que não apenas agora, mas por muito tempo ainda, anos talvez, ou até mesmo por toda a vida, será necessário cuidar da flor da esperança que nasce no coração dos que sofrem hoje, seguindo as recomendações da poetisa Cora Coralina:

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

Floral Globe - Petals - Tomoko Fuse

O atestado do amor usa a pena da união: 'É o que dá sentido à vida.'
Hoje e todos os dias.


Com papel e com afeto,
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

sexta-feira, janeiro 14

Mineira e mineiro

A mineira Isa Klein pediu um presente e aqui está:

Kusudana Muni
Vídeo aqui.
Fotodiagrama aqui.
O mineiro:

Toada do amor

E o amor sempre nessa toada:
briga perdoa perdoa briga.

Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta a brigar,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.

Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?

Mariquita, dá cá o pito,
no teu pito está o infinito.

Carlos Drummond de Andrade

Fonte: Sentimeto do mundo / Carlos Drummond de Andrade. – 8ª ed. – Rio de Janeiro: Record, 1999 – p. 19

Talentoso esse povo de Minas!

E nessa toada de blog, de origami, de dobra e desdobra essa mineira enche nossa vida de muita graça.
Kusudamas Muni e Adaga em flor, Mandala de Iemanjá - todos criação da Isa. 

Com papel e com afeto,
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

segunda-feira, janeiro 10

‘Floral Globe - Parallelograms / distorted squares’ ou Tomoko Fuse em tons de roxo




Roxo

Roxo aperta.
Roxo é travoso e estreito.
Roxo é a cordis, vexatório,
Uma doidura amanhecer.
A paixão de Jesus é roxa e branca,
Pertinho da alegria.
Roxo é travoso, vai madurecer.
Roxo é bonito e eu gosto.
Gosta dele o amarelo.
O céu roxeia de manhã e de tarde,
uma rosa vermelha envelhecendo.
Cavalgo caçando o roxo,
lembrança triste, bonina.
Campeio amor para roxeamar paixonada,
o roxo por gosto e sina.

Fonte: Bagagem / Adélia Prado. — Ed. revisada — 27ª ed. — Rio de Janeiro : Record, 2008. p. 31

 Com papel e com afeto,
 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥  ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

sexta-feira, janeiro 7

‘Floral Gobe - Parallelograms / distorted squares’ ou Tomoko Fuse em tons de rosa

     O afeto que temos é somente aquele que damos, porque o experimentamos nas nascentes do coração, irradiando de nós. E porque é nosso podemos dar (...).

Fonte: Reforma íntima sem martírio / pelo espírito Ermance de La Jonchére Dufaux: [psicolografia de] Wanderley Soares de Oliveira – Belo Horizonte: SED, 2003 – p. 155

♥ ♥

Borboletas que fiz para a filha de uma amigo:

Butterflies Alexander Swallowtail e Evangeline Fritillary - Michael G. LaFosse

♥ ♥


Cartão de natal com borboletas e mandala para a Aline:
O tutorial para o cartão está aqui. O meu foi adaptado.

♥ ♥

Guirlanda que recebi da Marta por participar da promoção do aniversário do blog dela:
Linda! Papéis lindos! Adorei!

Com papel e com afeto
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...