terça-feira, julho 28

Na mão direita rosa kawasaki, vou levar.

Andança

Vim tanta areia andei
Da lua cheia eu sei
Uma saudade imensa
Vagando em verso eu vim
Vestido de cetim
Na mão direita rosa, vou levar...
[...]

Composição: Danilo Caymi/Edmundo Souto Neto/Paulinho Tapajós


Para a amiga-irmã Aninha.


Beijos dobrados!

sábado, julho 25

Troca fadas e bruxas.

Glitter Graphics

Fairy Glitter Pictures

VAMOS NOS INSCREVER NO BLOG DA ANA PAULA

Início das inscrições: 6 de julho de 2009.
Fim das inscrições: 31 de agosto de 2009.
Parceiras: 1 de setembro de 2009.
Envio até: 20 de outubro (pois assim todas já teremos recebido nossos presentes no dia 31 de outubro, o "Dia da Bruxas").

O que iremos trocar:
- 1 item com referência às fadas: flores, cristais, alguma peça em cores claras feita com o material que costuma trabalhar;
- 1 item com referência às bruxas: abóboras, aranhas, morcegos, alguma peça em cores escuras feita com o material que costuma trabalhar:
- 1 mimo de moda para sua parceira utilizar: óculos, pulseiras, brincos, broches, colares - feito por você ou comprado;
- doces e chocolates;
- 2 materiais que sua parceira utilize;
- 1 cartão com o tema.


Por enquanto sou a única do ramo dos origamis a participar, fica feito o convite. Esclareci à ANA PAULA que só faço origamis, ela disse que não há problemas nisso.

Acredito que o origami nos dá muita possibilidade de usar a criatividade nessa troca. Além de ser uma ótima oportunidade para divulgarmos essa arte.

Beijos dobrados.

quinta-feira, julho 16

Dia do amigo.

Ao retornar para casa depois de um dia cansativo, a minha cachorrinha veio me saldar fazendo festinha, a acariciei e senti uma espécie de descarga elétrica de mim para ela, a danadinha continuou com suas brincadeiras e eu experimentei uma agradável sensação de bem-estar. É tão bom ter esse olhar eternamente amoroso.



O Dia do Amigo, comemorado em 20 de julho, foi idéia do argentino Enrique Ernesto Febbraro e inspirado na chegada do homem à lua (20/07/69). Ele vislumbrou, além da grandiosa conquista científica, uma oportunidade de fazer amigos em outras partes do mundo (http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_amigo ).
Resolvi comemorar essa data com uma homenagem a duas amigas especiais: uma late e a outra mia.


Tributo a um cão

Senhores jurados, o cão permanece com seu dono na prosperidade e na pobreza, na saúde e na doença.
O mais altruísta dos amigos que um homem pode ter neste mundo egoísta, aquele que nunca o abandona, que nunca mostra ingratidão nem deslealdade é o cão.

Senhores jurados, o cão permanece com seu dono na prosperidade ou na pobreza, na saúde e na doença.
Ele dormirá no chão frio, onde os ventos invernais sopram e a neve se lança impetuosamente. Quando só ele estiver ao lado do seu dono, ele beijará a mão que não tem alimento para oferecer, ele lamberá as feridas e as dores que aparecem nos encontros com a violência do mundo.
Ele guarda o sono de seu pobre dono como se fosse um príncipe. Quando todos os amigos o abandonarem, o cão permanecerá. Quando a riqueza desaparece e a reputação se despedaça, ele é constante em seu amor como o Sol na sua jornada através do firmamento.
Se a fortuna arrasta o dono para o exílio, o desamparo e o desabrigo, o cão fiel pede o privilégio maior de acompanhá-lo para protegê-lo contra o perigo, para lutar contra seus inimigos.
E quando a última cena se apresenta, a morte o leva em seus braços e seu corpo é deixado na laje fria, não importa que todos os amigos sigam seu caminho: lá ao lado de sua sepultura se encontrara seu nobre cão, a cabeça entre as patas, os olhos tristes, mas em atenta observação, fé e confiança mesmo à morte.
“Este tributo foi apresentado ao júri pelo ex-senador americano George G. Vest (então advogado), que representou o proprietário de um cão morto a tiros, propositadamente, pelo seu vizinho. O fato ocorreu a um século na cidade de Warrensburg, Missouri, Estados Unidos. O senador ganhou o caso e hoje existe uma estátua do cão na cidade e seu discurso esta escrito na entrada do tribunal de justiça da cidade.”
http://www.tribunaanimal.com/textos_tributo_a_um_cao.htm


O Ron-Ron do Gatinho

O gato é uma maquininha
que a natureza inventou;
tem pêlo, bigode, unhas
e dentro tem um motor.

Mas um motor diferente
desses que tem nos bonecos
porque o motor do gato
não é um motor elétrico.

É um motor afetivo
que bate em seu coração
por isso ele faz ron-ron
para mostrar gratidão.

No passado se dizia
que esse ron-ron tão doce
era causa de alergia
pra quem sofria de tosse.

Tudo bobagem, despeito,
calúnias contra o bichinho:
esse ron-ron em seu peito
não é doença - é carinho.

Adriana Partimpim (Adriana Calcanhotto e Ferreira Gullar)



Créditos:
Olhos apaixonados: Masaya Horiguchi
Barking dog: ?
Cat: ?

Beijos dobradinhos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...